Entrevista com Renato Gaúcho e Falcão antes do Grenal de Domingo (Debate frente a frente)

Parte 1

– Não sei o que o Falcão pensa, mas é difícil de explicar. Como jogador, o que eu mais queria era jogar o Gre-Nal. Pelo o que representa o Gre-Nal. Como jogador eu queria ganhar, e hoje como técnico também quero ganhar. O que eu mais queria hoje era estar lá dentro. Eu sofreria muito menos. Eu passo orientação para os jogadores, digo o que eu quero. Mas dentro de campo eu posso fazer. Treinador tem de ganhar muitos jogos. É difícl – disse Renato, que já dirigiu o Grêmio no Gre-Nal do Brasileirão de 2010 (2 a 2), enquanto Falcão fará a sua estréia no clássico.

– Vai ser o meu primeiro Gre-Nal como treinador. Com certeza é diferente. É muito difícil como treinador, você tem um vestiário para cuidar. Todos somos vaidosos. Você tira A para botar B e ele não dá resultado, você perde os dois – afirmou Falcão, acrescentando logo depois que o seu grande sonho como treinador é vencer o Gre-Nal de domingo: “Eu já entrei com 50% do campeonato perdido”.

Parte 2

Parte 3

Parte 4

matéria na globo: http://globoesporte.globo.com/futebol/campeonatos-estaduais/campeonato-gaucho/noticia/2011/04/falcao-e-renato-iniciam-o-gre-nal-com-debate-na-televisao.html

Publicado em Futebol. 1 Comment »

2 Lições: a vida exige muito mais compreensão do que conhecimento e um dos mais belos trajes da alma é a educação

ASNO

No Curso de Medicina, o professor se dirige ao aluno e pergunta:

– Quantos rins nós temos?

– Quatro! Responde o aluno.

– Quatro? Replica o professor, arrogante, daqueles que sentem prazer em tripudiar sobre os erros dos alunos.

– Tragam um feixe de capim, pois temos um asno na sala. Ordena o professor a seu auxiliar.

– E para mim um cafezinho! Replicou o aluno ao auxiliar do mestre.

O professor ficou irado e expulsou o aluno da sala. O aluno era Aparício Torelly Aporelly (1895-1971), o ‘Barão de Itararé’. Ao sair da sala, o aluno ainda teve a audácia de corrigir o furioso mestre:

– O senhor me perguntou quantos rins ‘NÓS TEMOS’. ‘NÓS’ temos quatro: dois meus e dois seus.. ‘NÓS’ é uma expressão usada para o plural.Tenha um bom apetite e delicie-se com o capim.

Moral da História:

A VIDA EXIGE MUITO MAIS COMPREENSÃO DO QUE CONHECIMENTO.

Às vezes as pessoas, por terem um pouco a mais de conhecimento ou acreditarem que o tem, se acham no direito de subestimar os outros…

E haja capim!!!

A ROUPA FAZ A DIFERENÇA?

Sem maiores preocupações com o vestir, o médico conversava descontraído com o enfermeiro e o motorista da ambulância, quando uma senhora elegante chega e de forma ríspida, pergunta:

– Vocês sabem onde está o médico do hospital?

Com tranqüilidade o médico respondeu:

– Boa tarde, senhora! Em que posso ser útil?

Ríspida, retorquiu:

– Será que o senhor é surdo? Não ouviu que estou procurando pelo médico?

Mantendo-se calmo, contestou:

– Boa tarde, senhora! O médico sou eu, em que posso ajudá-la ?!?!

– Como?!?! O senhor?!?! Com essa roupa?!?!…

– Ah, Senhora! Desculpe-me! Pensei que a senhora estivesse procurando um médico e não uma vestimenta….

– Oh! Desculpe doutor! Boa tarde! É que… Vestido assim, o senhor nem parece um médico….

– Veja bem as coisas como são…- disse o médico -… as vestes parecem não dizer muitas coisas, pois quando a vi chegando, tão bem vestida, tão elegante, pensei que a senhora fosse sorrir educadamente para todos e depois daria um simpaticíssimo “boa tarde!”; como se vê, as roupas nem sempre dizem muito…

Moral da História:

UM DOS MAIS BELOS TRAJES DA ALMA É A EDUCAÇÃO.

Sabemos que a roupa faz a diferença mas o que não podemos negar é que Falta de Educação, Arrogância, Falta de Humildade, Pessoas que se julgam donas do mundo e da verdade, Grosseria e outras “qualidades” derrubam qualquer vestimenta.

BASTAM ÀS VEZES APENAS 5 MINUTOS DE CONVERSA PARA QUE O OURO DA VESTIMENTA SE TRANSFORME EM BARRO.

Publicado em Contos. Leave a Comment »